- MENU -
HOME

A localidade

O Museu

Photo Gallery

E-commerce

Como chegar

Dónde comer e dormir

Brescello

Brescello

A localidade

Recordando Don Camilo e Peppone : lugares e objectos

Era uma vez uma vila chamada Brescello [...] Sempre diferentes mas sempre iguais, são o pároco Don Camilo e o presidente da câmara Peppone, dois chefes antagonistas, de duas forças opostas. Se observarmos Brescello desde a direita, é a vila de Don Camilo, em contrapartida é desde a esquerda é a vila de Pepone. Vista do alto é uma aldeia onde os adversários se enfrentam duramente mas sem serem inimigos e é a voz da consciência que tem sempre a última palavra (parágrafo do filme O companheiro de Don Camilo).

Continuando, os objectos e os lugares que recordam o passado cinematográfico de Brescello e que ajudam a manter viva a memória dos personagens nascidos da pena de Guareshi:

A igreja de Santa Maria Nascente e o "Cristo de Don Camilo".

A Igreja foi construída durante o período que vai de 1829 a 1837. O desenhador foi Luigi Groppi e contém obras picturais de grande valor do artista local Carlo Zatti. Ao lado da sacristia está o museu paroquial com obras do escultor de Brescello, Carlo Pisi, juntamente com outros objectos antigos. A fachada foi construída por Angelo Rizzoli para as cenas dos filmes e permaneceram como recordação dos personagens Don Camilo e Peppone.

O objecto que chama mais a atenção aos visitantes, é a figura de Jesus na cruz, a qual foi utilizada nos filmes e que se encontra actualmente rodeada de duas colunas e e um pálio.
O crucifixo foi realizado para a rodagem pelo escultor de Verona Bruno Avesani, com a ajuda de um carpinteiro local, Emilio Bianchini.
balsaAvesani realizou quatro caras com expressões diversas, as quais foram utilizadas no primeiro filme. Enquanto no resto dos filmes se utilizou a cara inclinada. Actualmente, apenas se conserva uma dessas caras.
O Jesus que tem uma altura de 1.65, sem cruz, pesa 13 quilos, em comparação com os 20 que tinha no início. A razão de esta redução de peso foi para facilitar as filmagens ao actor Fernandel. O artesão Avesani construiu a cruz com madeira de balsa, oca no interior, sendo assim muito leve. Uma vez terminada a rodagem, o Cristo foi doado por Angelo Rizzoli à igreja de Brescello, o qual foi cuidado com grande esmero por parte do pároco Dino Alberici.

A praça Matteotti

A praça grande Matteotti, rodeada da igreja, da câmara municipal e de uma série de pórticos, foi o cenário ideal para as aventuras do presidente da câmara e do sacerdote, alcançando fama e reconhecimento internacional. Enquanto alguns votavam ou desfilavam pelos comunistas, o cura Don Camilo, escopeta na mão, controlava a situação desde o campanário da igreja, intervindo com o tocar dos sinos, se as circunstâncias o solicitassem.

Actualmente, na parte norte da praça está a estátua "Ercole Beneffatore", realizada pelo escultor Jacopo Tatti, alcunhado de "el Sansovino", em 1553. Este trabalho foi encomendado pelo duque Ercole II. No início, a estátua foi colocada na praça da fortificação, mas devido à destruição da fortificação em 1704 por tropas espanholas, a escultura foi abandonada. Em 1727 foi transferida para o centro da praça Matteotti, onde agora existe uma réplica na zona norte.

Hoje, encontram-se mais duas estátuas: Don Camilo e Peppone. Ambas são de bronze e foram realizadas por Andrea Zangani e inauguradas a 2 de junho de 2001.A estátua de Don Camilo encontra-se em frente da igreja e a de Peppone em frente da Câmara Municipal. Esta última, tem o chapéu levantado para saudar o adversário em frente, mesmo na diagonal.

 

A casa de Peppone

Esta casa está situada na rua Carducci. Actualmente, é propriedade privada e não se pode visitar o interior. A casa foi utilizada para filmar praticamente todos os interiores dos filmes. No filme Don Camilo, Peppone mostrava a partir da varanda o filho recém-nascido a todos os companheiros de partido.

 

O sino de Peppone

No filme Don Camilo Monsenhor, (Don Camilo Monsignore...ma non troppo), Pepone, depois de exclamar "terminará o monopólio dos sinos por parte do clero" compra um sino e monta-o numa praça da Câmara. Contudo, de noite, alguém rouba o badalo do sino.
Este acontecimento para o presidente da câmara, porque na trama do filme, o presidente ficará debaixo do sino, construído com papel triturado. Como dado anedótico, o sino caiu realmente sobre o actor Gino Cervi durante a rodagem. Hoje, o sino encontra-se debaixo dos pórticos da rua Giglioli.

 

A estação de combóio

A estação encontra-se no fundo da rua Venturini e conservou durante esse tempo, a mesma imagem arquitectónica vista nas películas. Foi a partir daí que Don Camilo partiu para a sua "penitência política" nas montanhas da localidade de Montenara, no filme O regresso de Don Camilo (Il ritorno di Don Camilo).
A estação, como nos tempos da rodagem, é propriedade da sociedade Veneta Autoferrovie e serve de ligação entre Brescello e Parma-Suzzara.

 

A Virgem de Borghetto

No filme Don Camilo Monsenhor, (Don Camillo Monsignore ma non troppo), a pequena capela tinha que ser demolida para construir nesse local 16 apartamentos para os mais necessitados da vila e da paróquia. Contudo, ninguém tem a coragem suficiente para iniciar os trabalhos, convertendo-se num elemento de discórdia e confronto entre as partes.
Na realidade, trata-se de um relato de Guareschi na obra Don Camilo e o seu rebanho (Don Camilo e il suo gregge) em que o enredo se centra sobre um terreno pertencente a uma pessoa chamada Tarasca, o qual quer construir um edifício de quatro pisos, com apartamentos, escritórios, garagem e serviços, mas não o pode fazer porque é o local onde se encontra a capela da Virgem, de grande devoção entre os habitantes.
A pequena capela encontra-se ao lado do cruzamento da estrada SS 62 e a Virgem de Borgheto foi restaurada recentemente.

 

A locomotriz

Ao lado do museu encontra-se a locomotoriz que deveria levar Peppone para o seu "exilio romano" no filme Don Camilo e o nobre Peppone. A locomotriz foi restaurada por voluntários de Brescello.

 

O tanque

Guareschi escreve no relato "Il «Panzer»" de Don Camilo e o seu rebanho (Don Camillo e il suo gregge) que o senhor Dorini, em abril de 1945, tinha roubado aos americanos um tanque de guerra, pensando que eram alemães, sem dizer nada às autoridades militares. Com a ajuda de Don Camilo e Peppone, procurará desfazer-se da propriedade desse tanque para evitar problemas. O tanque utilizado no filme Don Camilo e o nobre Peppone é propriedade do Tasca e uma vez mais foi escondido.
Actualmente encontra-se na praça Mingori, ao lado do museu. Este tanque não é o original Sherman utilizado por Duvivier nos filmes. Trata-se de um Pershing M26, que os habitantes de Brescello, ultrapassando uma série de obstáculos e burocracias, obtiveram a posse junto do exército italiano. Graças a um grupo de voluntários da zona, cada um dos componentes mecânicos do mesmo funciona, ao ponto de, nas festas do patrono San Genesio, em 26 de Agosto de 1991, O Panzer teve a sua entrada triunfal em Brescello.
Antes do actual Pershing M26, existia outro tanque emprestado por um coleccionador de objectos bélicos por ocasião da inauguração do museu em 1989, mas que não funcionava. No entanto, a população queria um tanque que funcionasse, o que foi possível em 1991 e que actualmente se encontra exposto ao lado do museu.

 

El busto de Guareschi

Obviamente não se pode esquecer o verdadeiro mentor do grande êxito internacional de Don Camilo e Peppone: Giovanino Guareshi. Por esse motivo, a escultora alemã Gudrun Schreiner realizou um busto em bronze de Guareschi, o qual foi colocado num parque com o seu nome, localizado ao lado do museu de Brescello.

 

 

Retroceder

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A igreja de Santa Maria Nascente

 

O Cristo de Don Camilo

 

 

 

 

 

A estátua de Don Camilo

A estátua de Pepone

Pórticos por toda praça Matteottivi

 

 

 

O sino de Peppone

 

 

A estação de combóio

 

 

A Virgem de Borghetto

 

 

 

A locomotriz
 
 
 
 
 
 
O tanque

 

 

 

 

 

O busto de Guareschi